domingo, 28 de fevereiro de 2010

O texto na sala de aula (João Wanderley Geraldi)

RESUMO:
Livro: O texto na sala de aula

(João Wanderley Geraldi)

Ludemberg Pereira Dantas


2º Capítulo
Gramática e literatura: desencontros e esperanças,
 Lígia Chiappini de Moraes Leite

A autora inicia-se fazendo uma reflexão sobre o ensino de língua e literatura, afirmando que no seu tempo de estudante literatura brasileira, literatura portuguesa e língua portuguesa pertenciam à disciplina chamada português. Seu estudo era realizado através da escrita, da leitura, da fala, buscando estudar a literatura no seu sentido mais complexo, sendo que, era estudada com o mesmo professor só que em horários diversificados.

Percebe-se que não se segue mais ao método passado. Hoje o estudo da história da literatura no segundo grau explora mais a apresentação de autores e obras exigidas no vestibular. No momento em que, tanto no primeiro e no segundo graus, a presença da gramática se fazem freqüentes, sejam para facilitar a compreensão de pequenos casos, até o enriquecimento dos mais diversos conceitos.

Diante os conceitos de língua e literatura, surge à intenção de entender a possível idéia de estudar ambas separadas. O estudo da expressão e da comunicação facilitaria ou dificultaria a compreensão da língua e da literatura? A resposta mais apropriada vem no sentido de que o estudo da literatura sempre está envolta do uso das palavras, e, portanto, estudar literatura significa também estudar língua. Contudo, a lingüística o estudo da lingüística para a especificação da linguagem oral e da linguagem escrita, cada qual com suas próprias normas.

Partindo do conceito do estudo do português, surge então a curiosidade: por que estudar essa disciplina? Por um lado específico, o uso do português torna-se essencial para o convívio e desenvolvimento na vida cotidiana. É através da leitura e da produção de textos que o professor leva o aluno a assumir uma critica e uma função de sujeito do discurso, seja enquanto falante ou escritor, seja enquanto ouvinte ou leitor.

Não apresentando uma única condição, a literatura sempre apresenta vários significados. O que fundamenta a importância da literatura para a vida de homem é sua necessidade de apreciar textos, exercitar a leitura e a escrita.

O signo lingüístico no sentido de classificar a palavra como fonte de significação, transforma o estudo da literatura incondicionalmente, ou seja, é através de uma palavra e seu significado que outro conceito surge e assim formam-se mais dúvidas, mais afirmações e tudo isso transforma a vivência do homem.


7º Capítulo:
Práticas de sala de aula

O capitulo inicia-se com um pequeno diálogo em sala de aula, onde a professora dona Furquim depara-se com o seu primeiro dia de aula e passa uma tarefa de casa, onde todos devem em todas as aulas, trazer um pequeno texto livre com 10 linhas, não mais que isso, contando algo que aconteceu em casa, ou seja, uma história do dia-a-dia. Com essa atitude, nasce então a idéia de que é bom aprender para a vida.

Usando da prática da leitura, surge então à idéia de levar o aluno à leitura, visando à prática de produção de texto, o professor se encarrega de indicar obras literárias para os alunos, como contos, crônicas, reportagens, lendas, notícias de jornais, editoriais, romances e novelas. Com o objetivo de tornar o ato de ler uma tarefa essencial, rotineira, onde os alunos possam trocar livros.

Considerado a aplicação da proposta nos últimos quatro anos do fundamental, ao final cada aluno terá lido, no mínimo, quarenta romances, o que lhe permite efetivamente realizar estudos de literatura durante o segundo grau, sendo essa, uma prática de como trabalhar com os alunos em sala de aula na indicação da leitura dos livros.
17/02/2010

2 comentários:

Mateus Dourado disse...

Acredito em Ludemberg, meu amigo Berg, homem que já me encantava em suas oralidades e agora me faz, através das suas palavras grafadas,cada vez mais fã do seu sempre translúcido talento... parabéns, cara !!!

Ludemberg disse...

Teteuu, quanto reconhcimento, nem mereço isso professor. Eu sim, sou fã do senhor!
Abraço.

Postar um comentário

Postar um comentário